Utilizamos cookies próprios e de terceiros para melhorar a sua experiência e os nossos serviços, analisando a navegação no nosso sítio web. Ao continuar a navegar, consideramos que aceita o seu uso. Pode obter mais informação na nossa página Termos de Uso e Privacidade

Empresa portuguesa lança máquina inovadora de tubos plásticos no mercado europeu

Criada em: 2 julho de, 2015
"Este produto inovador nasceu de uma encomenda da multinacional holandesa C&F Technics, que ficou entusiasmada com a linha de máquinas que recebeu e pediu o seu rápido desenvolvimento", explica o Grupo Poço em comunicado.

Segundo a fonte, a máquina vem possibilitar a produção em larga escala de tubos que evitam a contaminação pelo oxigénio da água quente que circula dentro deles e que transmite o calor aos pisos radiantes.

"A disposição sucessiva de polietileno (1.ª camada), uma cola isolante (2.ª), uma barreira impermeabilizante ao oxigénio (3.ª), novamente a cola (4.ª) e novamente o polietileno (5.ª) produz estes novos tubos que impedem a entrada de oxigénio e, por sua vez, evita o surgimento de bactérias na água quente", é referido.

A primeira encomenda valeu "apenas" meio milhão de euros, "mas a produção em série desta linha de máquinas irá render muito mais", é indicado.

"A inovação não está tanto no tubo com cinco camadas, um produto que já existia, mas no facto de todo o tubo ser feito pela mesma máquina de uma vez só", explica Carlos Poço, presidente da Poço, Equipamentos Industriais, citado na nota hoje enviada à agência Lusa.

"A C&F Technics, quando recebeu a nossa máquina e viu que fazia exatamente o que precisava, pediu para aumentarmos a velocidade de produção de 10 metros por minuto para 40 metros/minuto. Estamos a trabalhar numa nova máquina e já conseguimos chegar aos 30 metros/minutos. Mais umas semanas e atingiremos os 40 metros por minuto", conta.

Carlos Poço esclarece que a conceção das máquinas foi iniciada sem colaboração universitária mas, para esta última fase e outros desenvolvimentos, irá "contar com a colaboração do Polo de Inovação em Engenharia dos Polímeros - PIEP".

Segundo o empresário, o projeto significa "uma oportunidade imensa" e vai abrir "grandes perspetivas" de mercado.

"É uma abertura de uma oportunidade imensa, porque o mercado europeu é um grande consumidor deste tipo de produto e vamos ter também o mercado dos Estados Unidos da América. Vai significar um crescimento muito grande das exportações. Esperamos duplicar o volume de negócios nos próximos tempos", reconhece Carlos Poço.

O desenvolvimento da nova máquina é ainda considerado um "passo gigante" para a empresa, pois foram encontradas "soluções técnicas muito importantes".

"Estamos entre as três fábricas no mundo que fazem equipamentos para tubos de grandes dimensões até 2,5 metros de diâmetro", sublinhou o responsável.

A Periplast exporta 75% das suas máquinas, sendo que cerca de metade tem como destino a Europa.

O Grupo Poço está também prestes a lançar no mercado uma linha de produção de tubos, neste caso de grande dimensão (1,2 metros de diâmetro), com uma característica muito inovadora: "a afinação em contínuo de todo o conjunto de máquinas, sem interrupção da produção".

Com uma faturação média de 12 milhões de euros ao ano, desde 2008, exporta mais de metade da sua produção.