Utilizamos cookies próprios e de terceiros para melhorar a sua experiência e os nossos serviços, analisando a navegação no nosso sítio web. Ao continuar a navegar, consideramos que aceita o seu uso. Pode obter mais informação na nossa página Termos de Uso e Privacidade

Fábrica da Faurecia em Bragança recebe investimento de 40 milhões

Criada em: 15 julho de, 2015
A unidade industrial produz escapes para várias marcas de automóveis.

A francesa Faurecia, um dos maiores fornecedores mundiais de componentes para automóveis, anunciou hoje um investimento de 40 milhões de euros na expansão sua fábrica em Bragança.

O acordo de investimento foi assinado hoje por Christophe Schmitt, vice-Presidente Executivo da Faurecia Emissions Control Technologies, e pelo administrador executivo da AICEP, Luís Castro Henriques. No evento estiveram ainda presentes Passos Coelho, Primeiro-Ministro, e Paulo Portas, Vice-Primeiro Ministro.

O novo investimento implica a construção de um edifício de produção na fábrica de Braganla, que irá cobrir uma superfície total de 10 mil metros quadrados. "A nova fábrica irá produzir sistemas de controlo de emissões, com a mais inovadora tecnologia, tais como sistemas de redução de óxidos de nitrogénio (NOx) para motores diesel e partes quentes dos sistemas de escape", refere o comunicado.

Com a expansão da fábrica serão criados 400 novos postos de trabalho, até 2017. Hoje a fábrica emprega mais de 720 pessoas. A empresa estima que as vendas anuais desta nova fábrica atinjam, em 2018, 375 milhões de euros.

A Faurecia, presente em Bragança desde 2001, é a maior empregadora e exportadora de Bragança. Quase 100% da produção do grupo é exportada para as principais fábricas de automóveis da Europa localizadas em França, Espanha e no Reino Unido. Em 2014, a Faurecia em Bragança gerou um total de 315 milhões de euros em vendas de produtos.

Em Portugal, o grupo francês está presente desde 1951, conta com seis fábricas (Bragança, Nelas, Palmela, Vouzela e duas em São João da Madeira) e emprega mais de 3.700 pessoas.

 

Fonte: http://economico.sapo.pt/