Utilizamos cookies próprios e de terceiros para melhorar a sua experiência e os nossos serviços, analisando a navegação no nosso sítio web. Ao continuar a navegar, consideramos que aceita o seu uso. Pode obter mais informação na nossa página Termos de Uso e Privacidade

Faurecia vende unidade de negócio que integra fábrica de Palmela

Criada em: 23 dezembro de, 2015

A multinacional francesa vai alienar a área de negócios Exteriores Automóveis à Plastic Omnium, sendo que, das seis unidades que detém em Portugal, apenas a de Palmela pertence a este segmento.


A Faurecia vendeu a sua área de negócio de Exteriores Automóveis à Plastic Omnium, um segmento em que a multinacional francesa está presente em Portugal, através da fábrica de Palmela. 

Contactada pelo Negócios, fonte da Faurecia disse que a alienação, avaliada em 665 milhões de euros "não terá impacto em Portugal".

No entanto, o comunicado em que a empresa anuncia a venda desta área de negócios, especifica que a unidade de Hambach (França) e duas joint-ventures na China e no Brasil não estão incluídas na alienação, pelo que não inclui nas "não vendas" a fábrica de Palmela.

Uma pesquisa pelo "site" da multinacional permite perceber que, em Portugal, apenas Palmela está integrada na unidade de "Automotive Exteriors" (Exteriores Automóveis). A Faurecia tem investido na unidade de Bragança, que pertence à área de emissões, enquanto a fábrica de Palmela se localiza na órbita da Autoeuropa.

Globalmente, o negócio de Exteriores Automóveis registou "em 2014 vendas de dois mil milhões de euros e emprega 7.700 pessoas em 22 fábricas", adiantou a multinacional de componentes automóveis em comunicado. A compradora é também uma sociedade francesa do mesmo ramo.

Em 2013, a Faurecia empregava 69 pessoas em Palmela, mas não é claro se esse número se mantém.  

A venda à Plastic Omnium "eliminará quase toda a dívida líquida da Faurecia", adiantou o mesmo comunicado. A operação está ainda sujeita a "procedimentos de informação e consulta com os mais relevantes representantes dos colaboradores e com as entidades reguladoras da concorrência", segundo o documento. 

O negócio deverá estar finalizado em 2016.

Fonte: http://www.jornaldenegocios.pt/